Simplificando a chatice de arrumar cama

Escrito por: Fernanda Marinho

Desde que comecei com o minimalismo, venho buscando descobrir quais são os objetos supérfluos que eu tenho para que possa me livrar deles. Resolvi fazer o mesmo com as atividades, já que um dos meus maiores desafios é economizar tempo.

Como eu sou uma pessoa metódica, aproveitei para usar meus conhecimentos (de iniciante) de análise de processos para isso. Comecei com o primeiro processo do meu dia (e um dos que eu acho mais chatos): arrumar minha cama. Eis como eu fazia isso todos os dias:

Arrumar cama

Fui olhando cada uma dessas atividades e pensando no que eu podia eliminar ou melhorar.

No segundo quadro, já tem uma coisa para mudar. Eu sempre deixava o virol e o edredom na cama arrumada, para escolher na noite o que ia usar, mas nunca uso os dois. Se está frio, uso só o edredom. Se está quente, só o virol. Resolvi então deixar só o que eu vou usar na cama, de acordo com a época do ano. Assim, eliminei ter que tirar um dos dois da cama toda noite e colocar ambos de volta toda manhã. O que não vai ser usado fica guardado dentro do armário.

Outra coisa que eu mudei, para simplificar, foi parar de usar um protetor separado para o travesseiro, deixando-o por baixo da coberta, junto com o edredom. Tirei também o Stitch da minha cama (com um aperto no coração). Agora ficou assim:

Arrumar cama

O tempo que eu ganhei em cada dia é pouco; mas, como arrumar cama é algo que eu faço todo santo dia, já é alguma coisa. Além disso, qualquer coisa chata que eu consiga eliminar da minha vida é uma maravilha!

Post originalmente publicado no antigo endereço, em 2013, aqui.

Você também pode gostar de:

Deixe seu comentário:

6 Comentários

  1. Maria disse:

    Eu já uso a segunda opção faz tempo. Minha vontade é de tirar tudo. Mas tem coisas que é indispensável e essencial!

    1. Muito melhor, não é? A vida é muito curta e corrida pra gente perder tempo todo dia com bobagens 🙂

  2. Anne Carvalho disse:

    Eu antes sempre usava lençol de cobrir, independente da época do ano. Então, se estava frio, colocava o lençol e por cima dele o edredon (na verdade, até em dias quentes eu gosto de dormir com edredon, pq sou friorenta; somente em dias ABSURDAMENTE quentes não uso). Daí todo dia tinha que tirar o edredon, esticar o lençol, e depois cobrir com uma colcha. Agora eliminei lençol de cobrir da cama (uso somente o de elástico, pra cobrir o colchão). Assim, me cubro direto com o edredon. Uso aqueles peludinhos finos, que esquentam bastante. Por ser fino e leve, dá pra lavar na máquina em casa mesmo, e, por incrível que pareça, ele já sai praticamente seco pro varal. Se lavo de manhã, de noite ele já secou. Uma maravilha! Mas de qq forma, tenho 3 (pq no inverno um só não dá conta, daí uso 2 ou 3 ao mesmo tempo, e mais pijamas peludos, dependendo do frio), então se acontecer de eu lavar e não dar tempo de secar até a noite, uso um dos outros 2 do armário.
    Então agora só preciso dobrar o edredon, ou esticar (cada dia faço uma coisa, dependendo do que eu julgar mais fácil – se não me mexi muito durante a noite, só estico o edredon na cama, se me mexi muito e ele está todo embolado, dobro e guardo no armário), e coloco a colcha por cima. Já pensei até em abolir o uso da colcha, e deixar somente o edredon esticado, mas tenho duas cachorras que insistem em subir na minha cama durante minha ausência. Então por motivo de higiene, tenho que cobrir a cama todos os dias.
    E depois que me separei do meu ex-marido, continuei usando cama de casal, e pra ficar bonita, mantinha dois travesseiros. Até que cheguei à conclusão que não preciso de dois, já que não tenho duas cabeças. Só fica um na cama agora, e quando meu namorado vem dormir comigo, aí coloco o outro na cama.

    1. Fernanda Marinho disse:

      Também sou friorenta, Anne. E também tenho usado esses cobertores de pelinhos. Esquentam mesmo e são leves. Adoro! Eu também uso eles direto, sem lençol. Então também estou nessa de só guardar e cobrir a cama. Hehe… Eu não tenho cachorro, mas mesmo assim a cama junta poeira do dia a dia, a gente coloca coisa suja em cima, senta com roupa da rua… Então prefiro cobrir por higiene mesmo. Mas é coisa bem rápida (e pouco chata) de arrumar e desarrumar.
      Fiquei rindo aqui das duas cabeças. Hehe… Sua solução foi uma boa ideia.
      Obrigada pelo comentário e por vir aqui para este novo espaço comigo 🙂

  3. Marina disse:

    To olhando seu quadro e pensando “meu deus eu sou muito desleixada!”. Tudo que eu faço é esticar o que usei pra dormir (edredom ou o cobertor, dependendo da temperatura) por cima do lençol e botar o travesseiro em cima, com o urso de pelúcia (que já fica na cama, espremido no canto) por cima. E tô querendo tirar o urso de pelúcia porque ele vive caindo no chão! Nem esticar o lençol estico, só quando ele está muito amassado ou o elástico soltou da cama. Já tentei aderir a colcha pra cobrir a cama, mas a noite, quando ia dormir, jogava ela em cima da cadeira de computador e nem sempre colocava ela na cama no outro dia. Apesar dos pesares, parei de usar.

    Quando era mais nova eu nem arrumava a cama, mas o quarto fica tão feio que passei a arrumar. A vida é muito curta pra arrumar detalhadamente um lugar que a gente vai bagunçar tudo de novo a noite hehehe’

    1. Hahaha… Isso é de cada um mesmo. Eu sou muito preocupada com higiene de onde eu durmo. Eu gosto de deixar as janelas da casa aberta, então dá muita poeira. Além disso, sento na cama ao longo do dia com roupa que foi na rua, coloco a bolsa em cima da cama… E eu não gosto de dormir nessa sujeira e nem na poeira (além de não gostar, me faz espirrar). Tem tudo a ver com os hábitos de cada um mesmo 😉

Participe da conversa, deixe seu comentário aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado.Todos os campos são obrigatórios!